Social Media

Redes em Tempo Real, Sim!

17 Nov , 2012  

 

 

As redes sociais e a nova tendência da rede em tempo real. Este tema começou a ser estudado quando das revoluções populares que ocorreram em 2011. No Egito, através das redes sociais a população conseguiu comunicar e interagir em tempo real com o objetivo de derrubar um governo ditatorial de quase 30 anos. As redes em tempo real. 

A Web 2.0 atinge o seu esplendor no ano de 2011, com um povo a organizar-se através do Facebook e Twitter.

Com as novas tecnologias e o desenvolvimento da WEB 2.0 a interatividade passou a estar presente nessas tecnologias. O Smartphone é o exemplo como as redes sociais e a WEB 2.0 está nas nossas mão, em tempo real.

Segundo Recuero (2009), uma rede social é composta por atores e pelas suas conexões. Os atores, entenda-se são as pessoas, instituições ou grupos, ou seja os nós da rede que fazem parte da rede. As conexões são laços sociais. Formados por interações sociais. As conexões são o principal foco de estudo das redes sociais, pois é a sua variação que altera as estruturas de um grupo.

Quando se fala de redes sociais, no mundo dos negócios, algumas organizações ficam de “pé atrás”, dado o lado tribal que existem nas conexões e na liberdade levada ao estremo nas partilhas e interações.

Na semana passada li um artigo de David Meerman Scott que me fez pensar…

Diz ele, quando fala com executivos de todo o mundo sobre as redes sociais, muitos deles pensam nos seus filhos e nos seus netos e da má imagem que é passada pela televisão. Os executivos, segundo David Scott, chegaram à conclusão que as redes sociais são frívolas e perigosas para as marcas e pode ser uma perda de tempo. Segundo ele, é difícil convencê-los do contrário.

Então, começou a utilizar em vez de redes sociais, “redes em tempo real” ou meios de comunicação em tempo real.

Ele recomenda que se deva deixar de utilizar a palavra “social” e substituir a palavra por “tempo real”. Quando se pergunta a um executivo sobre a “comunicação em tempo real com os clientes”, segundo ele, os executivos querem saber mais e mostram-se interessados, mesmo sabendo que são os que se descartam das redes sociais.

Quando ele fala em “redes em tempo real” os executivos das empresas percebem a linguagem e a importância que podem ter para o seu negócio.

O que os executivos querem saber:

  • O que as pessoas estão a fazer no seu site num preciso momento?;
  • Alguém elogiou a marca ou o seu nome no Facebook?;
  • Mencionou o seu nome no twitter?;
  • Publicou algum vídeo sobre o produto da marca no Youtube?;
  • Existe forma  de informar os que se está a passar da rede em tempo real?

David Meerman Scott afirma que os executivos entendem a rede em tempo real e estão ansiosos para implementar as ideias.

Muito há a fazer nesta nova tendência. No entanto, este truque de semântica parece estar a  resultar, mas com tecnologia adequada e desenvolvida para monitorizar e responder às questões e medos dos executivos das empresas.

Entre no em contacto com o David Scott e com os seus livros em Webinknow.com.

Fundador do Blogue MediasSociais – a nova tendência, experiência em Jornalismo, Formação em Comunicação Empresarial e Pós-Graduação em Marketing & Banking Social Media no ISGB. Autor dos eBook’s Toolkit de Social Media Marketing e Pensar Social Media.

, , , ,


One Response

  1. Mike diz:

    This article is a great help to me! Thank you!…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *