Social Media

Projetos de Social Media na Banca

18 Out , 2014  

Se não se abraçar os Social Media apresenta-se um novo risco. O verdadeiro risco é perder a importância crescente dos meios de comunicação social e não se acompanhar o que os clientes dizem e fazem.  Ao analisarmos as estatísticas arrisco-me a questionar: As marcas ficam para trás ou arriscam-se na aventura de andar por onde andam os seus clientes?

Na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África) existem mais de 7,5 mil milhões de ligações entre pessoas e pequenas empresas, sendo que 68% dos utilizadores mensais do Facebook nesta região estão ligados a pelo menos a uma página de uma PME.

Em Portugal, são cerca 85% os utilizadores desta rede social que estão ligados a pelo menos uma empresa que terá optado pelo Facebook como forma de divulgar o seu negócio.

Em todo mundo, refere o TeK, são mais de 30 milhões de pequenas e médias empresas com páginas do Facebook.

O Facebook conta com mais de mil milhões de membros activos, demograficamente, a faixa etária com mais 35 anos de idade é a que mais cresce. O crescimento demográfico mais rápido no Facebook é o das mulheres de 55-65 anos – uma enorme base de conselheiras de clientes. (Fonte: Facebook)

Actualmente, há maior transferência de riqueza das gerações mais velhas para as gerações mais jovens, o que deixa uma enorme oportunidade para os especialistas das network’s de mostrarem os seus atributos a esses novos clientes e conhecê-los onde eles estão: Twitter, Facebook e LinkedIn e Youtube (principais redes sociais)

O Facebook é o maior site em termos de tempo gasto por utilizador, em média um utilizador gasta 55 minutos em cada dois dias. (fonte: Facebook.com) Blogging: 184 milhões de pessoas (mais de 40% dos usuários de internet em todo o mundo) começaram um blog (fonte: Universal McCann), mais de 133 milhões de blogs são indexados no Technorati.

Micro-blogging: Jan Koum responsável pelo whatsapp numa entrevista em 2013 revelava um estudo que afirmava que o Twitter tem oficialmente 200 milhões de utilizadores por mês.

As Redes Sociais e os Blogs são, actualmente, a quarta actividade online mais populares, à frente do e-mail pessoal. Membros das comunidades são visitados por 67% do global da população online, o tempo gasto é responsável por quase 10% de todos os tempos na internet (fonte: Nielsen Online Março de 2009).

LEIA TAMBÉM: Fazer o Plano de Social Media; Delinear uma estratégia de Social Media; Transparência

Como se pode ser ainda céptico?

O aumento da popularidade dos meios de comunicação social networking mudou fundamentalmente as expectativas das pessoas e o alcance.

A escolha deliberada de não participar não impede que os seus difamadores não se expressem. Em vez disso, a participação permite ter uma oportunidade única para se explicar, mostrar-lhe transparência, e transformar esses “difamadores” em defensores da marca.

Na minha opinião, a questão que cada empresa deve colocar não é “Vamos abraçar os social Media Networking?”, mas, “Por onde devemos começar?”

A verdade, é que o Social Media é uma das formas mais eficientes de Marketing e de Comunicação, bem como de redução de custos, sendo eficaz para cumprir os seus objectivos de negócio e para diferenciar a sua empresa em defesa dos clientes, privilegiando a interactividade.

É fundamental no âmbito de uma estratégia de inovação e acompanhamento da mudança e tendências de mercado. É essencial para a Web 2.0.

Nesta perspectiva, a tecnologia assume um papel fundamental para as empresas. Esta é apenas uma ferramenta ao alcance de qualquer um, de recursos ilimitados, cujo potencial é exponencial na medida da imaginação e da criatividade. Nos últimos anos, um número crescente de empresas começou a participar em vários meios de Social Media, o que é um sinal promissor.

No entanto, muito poucas têm sido bem sucedidos devido à falta de experiência sobre o assunto e um foco nas áreas erradas e alguma dificuldade na análise do retorno. ROI retorno do investimento.

Para atingir e medir um bom ROI em Social media é importante utilizar também outras plataformas com e-commerce que ajudam imediatamente a conhecer a venda on-line e daí fazer contas.

Um projecto de social media deve concentrar-se nas pessoas e não na tecnologia. A tecnologia é o apoio para chegar às pessoas!

Muitas empresas já estão a experimentar. As próprias instituições financeiras, como o Wells Fargo ou Advanta, o emissor do cartão de crédito líder no mercado das PME no EUA, conseguiram excelentes alavancagens com sucesso através dos Social Media.

As razões do seu sucesso: Contam com apoio executivo, com “experts” em meios de comunicação social, com maior experiência sobre o assunto, não têm medo de experimentar e têm um compromisso assumido de inovar. O sucesso passa por inovar! Em todas as frentes…

Criar um Banco Virtual: Interacção com diversos gestores Homebanking utilizando Chats que funcionam numa plataforma à parte mas que se podem aceder através do Facebook. Os comentários dos clientes são controlados e monitorizados no Facebook; O acesso à pagina é feito através de I Like e não de Fã.

Criar um Canal no Youtube: que permita likes e que instituição tenha o seu próprio canal de partilha;

Efetuar o Atendimento ao cliente: no Twitter;

Proporcionar Educação financeira: no Facebook com jogos interativos – Interagir com CRM: (interação Web 3.0) estamos com os clientes 24 horas por dia: Semântica e Valores;

Recrutamento: Utilização do Social Media no recrutamento, sendo possível perceber melhor quem recrutamos e que ambientes frequentam! O Linkedin uma ferramenta de networking que continua a crescer e a substituir os currículos de papel.

Os casos de sucesso em Social Media começam a ser notícia e basta entrar no Anz bank, no ASB Bank, na Sales force, na Nike e em tantas outras marcas. Os social media criam valor à marca e coloca-a nos lugares onde estão os seus clientes. Mas as instituições, com sistemas de “Governance” cada vez mais transparentes, tendem a entrar nos social media… mesmo com alguma timidez. Veja-se o caso de sucesso do Santander Totta com 740 mil likes e com interações muito acima do que era espectável pela empresa responsável pelo Plano de Social Media.

Fundador do Blogue MediasSociais – a nova tendência, experiência em Jornalismo, Formação em Comunicação Empresarial e Pós-Graduação em Marketing & Banking Social Media no ISGB. Autor dos eBook’s Toolkit de Social Media Marketing e Pensar Social Media.

, , ,


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *