Marketing Digital

Os Millennials? Os Nativos Digitais Vêm aí!

3 Jan , 2016  

Os Nativos Digitais Vêm aí! É verdade! Pode esquecer os Millennials. Os Nativos Digitais, nascidos entre os anos 90 e o ano 2010 já estão na faculdade e prontos para entrar no mercado de trabalho. Eles são a geração Z, pós-millennials. No EUA já representam 22% da população, e se pensarmos num exército, seriam 70 milhões de militares. Os Millennials? 

A geração Y ( Geração Millennials ) é conhecida por ser uma geração que desenvolveu muitos avanços tecnológicos e também o crescimento de alguns países.

Os jovens da geração Y cresceram com muitas coisas que os pais não tiveram possibilidade de conhecer quando tinham a idade dos filhos. Como exemplo da televisão a cabo, videojogos, computadores e muito mais. Por terem esse contacto todo com a tecnologia, acabaram por ficar conhecidos por serem pessoas distraídas, insubordinadas e superficiais, na sua grande maioria.

  • Geração Millennial (nascidos após 1982) sugere que empresas e escolas trabalhem juntas para preparar os talentos para o mercado de trabalho.
  • Aspirações de liderança desta geração divergem entre homens e mulheres, e entre mercados emergentes e desenvolvidos.
  • Indústria de TMT (Tecnologia Media e Telecomunicações) é a mais desejada pelos millennials para desenvolver as suas competências.

Leia também: O futuro será de quem?; Snapchat a rede social que mais cresce; A geração que valoriza mais o propósito da empresa; e O marketing Back to Basics não é para todos!

As empresas de hoje devem focar-se nas pessoas e no propósito do seu negócio e não apenas nos produtos e no lucro, segundo a quarta edição do estudo Millennial Survey. Estas e outras evidências sugerem que as empresas, especialmente as dos mercados desenvolvidos, terão que realizar profundas mudanças para atrair e reter os talentos do futuro.

A geração Millennials, que inclui todas as pessoas nascidas após 1982, acredita profundamente (75%) que as empresas estão mais focadas na sua própria agenda do que em ajudar a melhorar a sociedade. Apenas 28% dos millennials sentem que a sua atual organização está a tirar todo o partido das suas capacidades. Mais de metade (53%) aspira tonar-se líder ou um executivo sénior dentro da sua organização, existindo contudo uma clara diferença de ambição entre os millennials dos mercados emergentes e dos mercados desenvolvidos. Com efeito, 65% dos millennials localizados nos mercados emergentes afirmam que gostariam de alcançar este objetivo, comparando com os apenas 38% dos mercados desenvolvidos. Este resultado foi também mais expressivo entre os homens.

O estudo permite ainda concluir que as grandes multinacionais são menos atrativas para os millennials dos mercados desenvolvidos (35%) do que para os dos mercados emergentes (51%). A geração Millennial dos mercados desenvolvidos está também menos disposta (11%), do que a dos mercados emergentes (22%), a começar o seu próprio negócio.

Geração Z  – Os Nativos Digitais Vêm Aí!

A geração Z não conhece o mundo sem Internet, (geração de nativos digitais) não diferenciam o modo online do offline. São críticos, dinâmicos, exigentes, sabem o que querem, autodidatas, não gostam das hierarquias nem de horários poucos flexíveis.

Estes jovens nasceram a partir de 1995 até 2010 e estão a começar a entrar no mercado de trabalho, bastante confiantes. A chegada desta nova geração vai exigir que empresas se adaptem e apliquem novas práticas para atrair e reter profissionais.

“Eles entendem o mundo diferente. A sua relação com o tempo é outra, é online, a maneira como lidam com hierarquias e a autoridade, enfim, tudo é diferente para a geração dos nascidos nestes milénio em quem as organizações se devem inspirar”, afirma o doutor em comunicação Dado Schneider. Este especialista estuda o comportamento desta nova geração há anos e acredita que ela será revolucionária.

A geração Z também apelidada de “pós-millennials”, já são cerca de 22% da população dos Estados Unidos, ou seja poderiam ser um exército de 70 milhões de pessoas.

Esta geração usa o smartphone o dia inteiro e quando surgem dúvidas sobre algo, vão logo consultar o motor de busca google. O smartphone, tablet e as redes sociais fazem parte da vida desta geração que se relacionarem virtualmente com os amigos, vêem  filmes e estudam online. Segundo uma jovem de 17 anos, apenas desta maneira consegue acompanhar a velocidade e a abundância de informações. Esta estudante nas aulas ainda anota alguns apontamentos a lápis, mas confessa que é mais fácil e prático anotá-los no smartphone.

De acordo com um relatório recente do banco Goldman Sachs, entender esta geração é muito importante, porque já representam 44 biliões de dólares do poder de compra no EUA.

Eles também influenciam nas decisões da casa, de acordo com 93% dos pais e, 60% destes jovens acreditam ter muito dinheiro é sinal de sucesso, contra 44% do millennials que partilham a mesma opinião.

Pesquisas recentes mostram, que assim como a jovem de 17 anos, os nativos digitais são menos motivadas por dinheiro que a Geração Y (millennials) e têm mais ambições empreendedoras.

A pró-atividade com relação aos meios digitais também levam muitos a desejarem ter a sua própria start-up. “Eles não nasceram para serem empregados mas sim para empreender e empregar. Esta geração vai ensinar-nos a ter prazer com o trabalho”, explica Schneider.

A geração de nativos digitais, criados pela geração X durante a crise, tensões económicas e dificuldades financeiras, esta geração tem uma visão menos idealista e mais pragmática do mundo, revela o banco Goldman Sachs.

Em Portugal esta geração cresceu com o dinheiro fácil e despesismos da era Sócrates, desfrutou de computador desde a primária (Magalhães), mas agora tem de lidar com as dificuldades económicas dos pais e o pessimismo generalizado do mercado de trabalho, como o desemprego, do qual são vítimas.

Fundador do Blogue MediasSociais – a nova tendência, experiência em Jornalismo, Formação em Comunicação Empresarial e Pós-Graduação em Marketing & Banking Social Media no ISGB. Autor dos eBook’s Toolkit de Social Media Marketing e Pensar Social Media.

, , ,


One Response

  1. […] das coisas mais importantes em marketing, especialmente para os Millennials, é a personalização. Com a capacidade de contar histórias imersivas, as empresas poderão […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *